5 coisas que você NÃO deve fazer na sua newsletter

5_coisas_que_voc_NO_deve_fazer_na_sua_newsletter.jpg

Antes de começar a ler este artigo, pense no lixo eletrônico do seu e-mail: possivelmente você não faz muita ideia do que tem se acumulado lá. É provável que haja muita propaganda, e-mails marketing e talvez alguma newsletter que você mesmo marcou como spam por não possuir conteúdo relevante para você.

Um dos desafios dos assessores de imprensa é elaborar newsletters que realmente sejam interessantes para o público, que sejam acessadas e que possuam conteúdo relevante para que os objetivos propostos sejam cumpridos. Neste artigo você vai conferir cinco coisas que você não deve fazer em sua newsletter para que a mensagem seja entregue aos seus clientes, colegas ou quaisquer pessoas que precisam receber conteúdo relevante para se informar ou tomar decisões. Confira!

Não ter um objetivo claro

Uma newsletter é um informativo eletrônico e periódico com o objetivo geral de informar o cliente ou um contato, oferecendo conteúdo sobre um assunto específico ou mesm algum tipo de produto, serviço, projeto etc.

Muitos desses informativos vêm tão carregados de informações que o objetivo principal acaba ficando em segundo plano e o conteúdo fica extenso, desconexo e irrelevante. Por isso, atente-se ao foco da sua newsletter! Se o objetivo é promover um produto ou serviço, faça isso de maneira interessante para o leitor, sem se autopromover a todo custo, incluir textos enormes ou publicar vários tipos de conteúdo sem conexão. Essas práticas, além de ineficientes — já que dificilmente o leitor vai ler toda a informação que nela consta e chegar ao objetivo principal —, são cansativas e mostram que você desconhece seu público-alvo.

Não ter a permissão dos destinatários

É muito inconveniente ficar recebendo coisas que você não quer, por isso é fundamental trabalhar apenas com contatos que aceitaram sua comunicação.

Adquirir listas de e-mails é muito fácil, mas enviar mensagens às pessoas que não permitiram essa comunicação só vai prejudicar a reputação da sua empresa. A melhor forma de adquirir contatos válidos e que podem se interessar pelas suas newsletters é por meio de cadastros virtuais ou presenciais, sempre com o consentimento do cliente.

Também é muito importante oferecer a opção de descadastramento, também conhecida como opt-out. Isso demonstra respeito aos interesses do cliente, além de fazer parte do código de ética que regula o e-mail marketing.

Falta de personalização

Mensagens personalizadas criam no leitor a sensação de que ele é especial e que a empresa se preocupa com seus interesses.

Chamar o cliente pelo próprio nome e adequar o conteúdo aos objetos de interesse do leitor são pontos-chave pra uma newsletter de sucesso. É importante se atentar aos dados que o cliente disponibiliza no cadastro, como informações sócio-econômicas e comportamentais, idade, sexo e localidade. Essas informações são importantes, pois permitem a elaboração de diferentes conteúdos para diferentes perfis.

Pessoas gostam de falar com pessoas, por isso é importante usar um tom agradável de conversa e a linguagem da marca quando for se comunicar com seu cliente ou colegas, sem rebuscamento ou formalidade excessivos, além de se adequar ao tipo de público que se pretende estabelecer uma conversa. Também é importante, mas não excludente, que o nome do remetente seja de uma pessoa em vez de levar apenas o da empresa. Isso tornará o contato mais pessoal e ajudará a aumentar as taxas de abertura da mensagem.

Enviar conteúdo desinteressante

Para produzir conteúdo interessante é necessário estar atento às preferências e interesses do seu público. Ficar se autopromovendo ou fazendo propaganda demais é, além de chato, ineficiente! É também importante chamar a atenção do leitor desde o título, fazendo com que ele se interesse pelo conteúdo antes mesmo de abrir a mensagem.

Textos grandes, sem imagens e mal escritos são um convite ao desinteresse dos potenciais leitores de seus leitores.

Não se atentar à periodicidade dos informativos

Para saber a periodicidade certa para enviar as newsletters de sua empresa também é importante conhecer o seu público, mais especificamente o comportamento deles.

Estude a rotina de acessos ao seu site, redes sociais, recebimento de e-mails, etc. Verifique os horários e dias de acesso, assim como o retorno das mensagens enviadas para ter uma primeira ideia sobre qual a periodicidade ideal para enviar seus comunicados. Com a evolução do trabalho, mais dados serão gerados e, com isso, uma análise mais certeira poderá ser realizada.

Atente-se para a frequência de envio dos seus informativos e lembre-se: é melhor enviar um menor número de newsletters com conteúdo relevante do que enviar vários informativos sem conteúdo, pois estes serão ignorados.

Gostou das dicas? Então certamente você também vai gostar do nosso outro artigo sobre personalização de newsletters! Não se esqueça de deixar aqui seus comentários dúvidas e sugestões!

Fale com um especialista em monitoramento »
Tópicos: Newsletters Comunicação Assessoria de Imprensa